São Paulo, SP
(11) 99244-4278
tnobile.marketing@gmail.com

Entenda sobre os problemas de vazamento de dados do Facebook

Entenda sobre os problemas de vazamento de dados do Facebook

Imagem de capa sobre o vazamento de dados do Facebook

No mundo em que vivemos hoje, informação é tudo. As empresas se dedicam diariamente e arduamente a conseguir entregar a melhor experiência possível para seus consumidores. Para que isso seja feito da maneira certa, precisam ter um conhecimento aprofundado sobre essas pessoas. É aí que entra a importância dos dados. Atualmente, dados valem ouro!

Devido a essa importância, os problemas que estão surgindo afetam não só o Facebook, como as outras redes sociais. Esses problemas podem causar um rebuliço maior do que você espera! É importante inteirar-se do assunto, pois então fique ligado que o post de hoje é justamente para te deixar bem informado sobre o assunto!

Recapitulando

O epicentro que deu início aos questionamentos e dúvidas que surgiram, aconteceu quando o jornal The New York Times (jornal americano mega premiado/conceituado, com 167 anos de existência), divulgou que a empresa Cambridge Analytica havia roubado dados pessoais de aproximadamente 87 milhões de usuários do Facebook, através de um aplicativo de quizz chamado “this is your digital life”.

Imagem que representa uma análise de dadosIsso tudo aconteceu entre 2013 e 2014, quando o Facebook, que sabia sobre o compartilhamento indevido das informações, corrigiu a brecha de segurança que teria na plataforma. O problema se agrava ainda mais quando foi divulgado que a Cambridge Analytica teve influência ativa nas eleições norte americanas em 2016. Tendo acesso a esses tipos de dados a empresa direcionou as orientações de votos a favor de Donald Trump.

Segundo informações, os tipos de dados que foram roubados são: nome, e-mail, data de nascimento, idade, local de residência, e informações que o aplicativo citado acima, fornecia. Vale ressaltar que não só as pessoas que estavam registradas no quizz foram afetadas, os amigos dessas pessoas também, ou seja, o buraco é bem mais em baixo.

 

Qual foi a resposta da plataforma?

Após perder US$ 60 bilhões de dólares de seu valor de mercado, ser investigado de cima a baixo, além dos olhares tortos de muitos usuários, o CEO Mark Zuckerberg teria que se pronunciar sobre o assunto, certo!?

O Facebook admitiu que deveria ter cuidado melhor da quantidade massiva de dados que recolhem. Eles também admitiram ter começado a tomar medidas para fortificar sua plataforma, visando uma maior privacidade para os usuários. Entretanto, isso não impediu Zuckerberg de ser convocado para depor no congresso dos EUA (caso queira saber como foi, clique aqui).

Resumindo brevemente, não houveram muitas informações relevantes (nada que já não sabíamos). Foi reforçado que a rede social permite que os usuários podem acessar seus próprios dados, inclusive baixa-los. Falaram também sobre uma versão paga do Facebook sem anúncios e do “possível” monopólio da empresa.

Fato é que toda essa algazarra repercutiu de uma maneira exponencial. Até outras empresas do mesmo ramo se manifestaram sobre segurança de dados. Mas não só isso, no decorrer dos meses, várias redes sociais atualizaram seu termo de privacidade.

Neste momento todas as empresas devem estar alertas para que nada do tipo aconteça novamente. Quem sabe assim a situação vai ficar sob controle, correto?

Outro problema surge

Eis que sexta-feira passada, 28 de setembro de 2018, nosso querido Facebook divulgou que uma vulnerabilidade na segurança acarretou na invasão de 50 milhões de contas. O problema foi descoberto em um código com à função “Ver como”, isso permitiu que os Tokens (espécie de código temporário que fornece acesso protegido, toda vez que alguém usa o login do Facebook para conectar a outro aplicativo) fossem usurpados, dando acesso a diversas contas pessoais.

Imagem da página de login do Facebook

Para amenizar um pouco a euforia que a notícia causaria, o Facebook já garantiu ter corrigido essa falha. Mais de 90 milhões tiveram que refazer o login, para que os tokens fossem redefinidos e seja garantido um acesso seguro novamente.

No blog oficial, Guy Rosen, vice-presidente de gerenciamento de produto do Facebook disse:

“ […] Como estamos apenas começando a nossa investigação, ainda temos que determinar se essas contas foram mal utilizadas ou se alguma informação foi acessada. Nós também não sabemos quem está por trás desses ataques ou onde estão localizados. Estamos trabalhando muito para entender melhor esses detalhes – e iremos atualizar este post quando tivermos mais informações, ou caso os fatos mudem. Além disso, se encontrarmos mais contas afetadas, iremos imediatamente invalidar os seus tokens de acesso.

A privacidade das pessoas e sua segurança é de suma importância, e pedimos desculpas pelo ocorrido. Por isso que tomamos medidas imediatas para garantir a segurança das contas e informar aos usuários o que aconteceu. Não há necessidade de trocar a senha, mas para as pessoas que estão tendo problema em logar novamente no Facebook – por exemplo, se esqueceram a senha – devem visitar nosso Help Center. […] “

Caso queira ler na integra o que foi dito, clique aqui, só tenha noção que está escrito tudo em inglês.

Uma nova notícia foi divulgada de que a rede social pode ser multada em US$ 1,63 bilhões devido a este acontecimento. Segundo a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda (órgão principal que cuida do regulamento do Facebook na Europa), a empresa descumpriu uma legislação que existe justamente para garantir a segurança dos dados pessoais.

Imagem que representa o que fazemos online

“Tá, mas o que eu tenho haver com isso?”

O mundo em que vivemos é rodeado de pessoas que são viciadas no prazer de compartilhar tudo que estão fazendo. Uma atitude desenfreada que muitas vezes não há o consentimento do perigo que esta atitude pode resultar. Principalmente estando em um local que não garante sua segurança.

Sabe aquele spam que você recebe no seu e-mail ofertando produtos que você nunca procurou na vida? Pois um simples e-mail exposto, pode servir como moeda de troca para empresas que o utilizam indevidamente. Claro que essa situação é uma das mais leves. Podemos incluir na lista: e-mails enviados com vírus, fraudes com número de cartões de crédito, links falsos para roubar outro tipo de informação, etc.

Talvez transpareça que não há problemas expor certos tipos de informação pessoal. Porém, dependendo do que for, aquilo pode ser usado de uma maneira em que no final do processo, você seja lesado de alguma forma. Por isso que as empresas devem assegurar que os dados estarão protegidos e que a qualquer momento possam ser excluídos caso deseje.

Cada vez que sai uma notícia de falha na segurança de dados, cresce a dúvida se estamos realmente seguros. Ao invés de evoluir, podemos ter um retrocesso. Ninguém vai querer permanecer ou entrar, em uma rede que não garante sua privacidade. O que afetaria diretamente as empresas que usufruem deste meio para fazer anúncios e engajar seu público, uma queda iminente que ninguém quer que aconteça.

E agora?

Agora queremos saber a opinião de vocês! Esse assunto precisa ser debatido/comentado para que as pessoas percebam sua importância. É importante cobrar para que haja uma resolução do problema.

Não deixe de acessar nosso site para ter mais conteúdo sobre o assunto. Temos posts que vão lhe auxiliar a conhecer mais do universo que é o marketing digital. Compartilhe com seus amigos e continue nos acompanhando!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *